Reflexões Femininas

Archive for the ‘Bem Estar Feminino’ Category

Homeopatia

leave a comment »

Fraternas,

Essa medicina foi desenvolvida por um medico alemão no final do século XVIII, Dr. Samuel Hahneman. Os remédios são feitos com plantas, minerais e até animais, se apresentam em glóbulos, líquidos, pós e pomadas. Sua feitura é por diluição de solução concentrada de alguma substancia desses materiais, mas não é só isso, a diluição tem que ser muiiiiiita, e em etapas com movimentos específicos, até se obter uma ínfima partícula da coisa diluída, quanto mais diluída, quanto menos material, tanto mais forte estará o remédio, pois o objetivo da coisa é que essa ínfima partícula da substancia, já quase só energia sem matéria, seja inserida e funda-se a parte energética, imaterial, psíquica, da pessoa e assim provocar uma reação no ser integralmente com suas próprias forças regenerativas intrínsecas de equilíbrio. Ou seja: Esse processo de diluição é feito em etapas para a cada vez de diluição e a cada vez com movimentos específicos se chegar a diluir tanto que só fique a mais pura essência da coisa, para tão ínfima partícula quase imaterial chegar ao corpo energético/imaterial da pessoa e assim na parte psíquica intervir e equilibrar aí. Uma vez isso ocorrendo, os efeitos se mostram no corpo orgânico e a saúde é reestabelecida, porque na Homeopatia se acredita que a doença antes de ser orgânica é psíquica energética e a cura também, pois o corpo sadio é reflexo do equilíbrio psíquico e vice-versa.

O corpo só é vivo porque tem energia específica para isso, cadáveres não estão vivos porque estão sem energia vital, e quando a parte energética está legal o corpo reage a doença se auto reequilibrando em seus sistemas como um todo, porque cada sistema do corpo está interligado e dependente um do outro e quando um sistema está com problemas, num efeito dominó afeta aos demais, e o corpo então fica com o funcionamento todo ruim, incluso a parte mental e acaba por se deteriorar todo assim. Corpo ferrado causa a parte energética mais desequilíbrio e aí fica toda ferrada também num círculo vicioso. O melhor é o corpo são com mente sã e energia vital bacana, tudo harmônico. E nisso o campo de ação da homeopatia é no plano energético psíquico, o resto rola por consequência.

A ideia básica da homeopatia bem parecida com a que fundamenta vacinas e antídotos, é que a do semelhante cura semelhante, ou, o mal cura o mal, exceto pelo método de feitura e o fato de que vacinas e antídotos agem diretamente no corpo orgânico e já a homeopatia age na energia vital que permeia o corpo orgânico.

Num grosso modo, na medicina homeopática se uma coisa que fez mal a pessoa é justamente essa mesma coisa potencializada que será seu remédio de cura. Bom, se o sujeito aguentar ir até as ultimas consequências do processo de cura, porque na homeopatia antes do corpo orgânico curar o corpo energético terá que já estar curado, e como o sujeito recebe do mal que lhe fez mal anteriormente muitas vezes para quem está desavisado parece que piorou em sua enfermidade, e aí só um perseverante ou teimoso mesmo é que não desiste de levar a cabo o tratamento, até porque para muitos os efeitos benéficos no corpo orgânico demoram muito a se revelar, mas quando o processo se efetiva é a cura, a doença então será superada e erradicada definitivamente.

Mas via de regra os médicos homeopatas já sabendo que poderá ser preciso ajustes e observam bem o processo de cura com suas “doses homeopáticas”, essa é a forma correta para a homeopatia valer, porque quanto mais diluída a substancia e lenta for a inserção mais eficiente é o remédio homeopático. E assim vão monitorando atentamente para irem adequando o tratamento de acordo com as necessidades, e se for preciso diminuem ou aumentam as doses, ou alternam, ou mantem, ou retiram e até receitam medicamentos da alopatia quando é o caso, porque antes dos médicos se especializarem em homeopatia eles já foram preparados na alopatia e por isso podem medicar nos dois estremos de intervenção, diferentemente dos médicos alopatas que só podem contar com uma via intervenção e muitos vezes não conhecem muito outras formas de medicina.

A homeopatia não é adequada a todos, nem para todas as doenças ela serve, nem faz milagres, mas quando a enfermidade é de causa psíquica por desiquilíbrio energético a homeopatia cura sim.

Bom… Vale a pena testar os benefícios que a homeopatia pode trazer a nossa saúde. Mas claro que se tem que ter um pouquinho de paciência… (risos).

Fraternamente,

Símia Zen.

Written by Símia Zen

18/12/2011 at 20:59

Publicado em Bem Estar Feminino

Tagged with

Florais de Bach

leave a comment »

Pelos registros a terapia das flores foi sistematizada por um médico homeopata no começo do século XX, Dr. Edward Bach. Este homem foi cobaia de sua própria pesquisa, ele tomava o orvalho coletado das flores no bosque, e gostava… rsrs, daí inventou 38 remédios para problemas específicos como o Pinho ou Olmo ou Salgueiro contra o desespero, por exemplo. Tem uns muito usados hoje como Cherry Plum contra o medo e a perda de controle, e o Gorse contra a desesperança, e o Sweet Chestnut contra a desolação.

Os Florais de Bach são tinturas extraídas das flores e o preparo básico é colocando pétalas em água mineral ao sol por algumas horas, com essa água de flor se faz a tintura usando conhaque como conservante. Toma-se em gotas sobre a língua ou se se bebe o floral misturado com um pouco de água e bem devagar. É ministrada de acordo com o estado emocional da pessoa.

Esta pode ser uma terapia auxiliar para medicina preventiva porque age na emoção da pessoa tipo entorpecente, regulando o emocional da pessoa, levando-a estados emocionais mais confortáveis e, que por isso, a pessoa fica mais aliviada do estresse/sobre carga de tensões físicas e mentais, que a desgasta e adoece a médio e longo prazo.

A ideia que fundamenta essa terapia, de prevenção de desgaste emocional e por efeito, físico também, é que a doença começa no campo psíquico e se reflete no físico. Essa é a mesma ideia que fundamenta a homeopatia, mas há diferenças cruciais, porque a homeopatia serve para curar doenças já instaladas no plano psíquico e refletidas no físico e não para prevenir.

Se alguém usar homeopatia estando bem de saúde o efeito é terrível, acaba caindo doente, já os florais podem ser usados sem que a pessoa esteja doente, alias se a pessoa estiver doente os florais vão esconder a doença porque os sintomas ficarão mascarados e nunca se vai saber da extensão da doença até que ela já esteja num estado muito grave ou até crônica.

Creio que só vale usar os florais de Bach se tiver certeza que está totalmente saudável, e nisso usar para prevenir-se de desgastes desnecessários, porque há alguns que são necessários, não devem ser evitados, porque são boas vivências do campo emocional para o próprio fortalecimento e amadurecimento psicológico, pois se uma pessoa usa floral ou outro entorpecente a cada situação difícil de lidar, para fugir do desgaste, do sofrimento, da dor emocional, ao final essa pessoa ficará tão frágil que sequer poderá enfrentar uma fila de banco sem sucumbir. (Mas claro que desgastes emocionais são um saco… sobretudo em certas fases do ciclo feminino, eu que o diga…rsrs)

A experiência da lida com as próprias emoções sejam elas agradáveis ou terríveis vale muito para se desenvolver, para amadurecer, se evoluir bem como ser humano, portanto não se deve fugir da oportunidade de vivenciar suas próprias emoções. Os florais escamoteiam muito isso, daí atrapalham ao autoconhecimento para aprender a lidar com os próprios sentimentos e emoções, Acho que fugir das vivencias no campo emocional estagna a alma da pessoa, eu ainda sou do time que acredita que “o que não mata fortalece”. O bacana em minha opinião é elaborar-se, aprimorar-se e superar os sofrimentos e não apenas anestesiar-se e falsear-se. Mas não há dúvidas que isso é difícil pra caramba… Daí é claro que há horas que os florais são aconselháveis, sobretudo se houver riscos de no embate com as emoções alguém ficar no risco de acabar adoecendo, então essa é a hora do floral entrar em cena para dar um apoio alienante básico rsrsss. Só que se a pessoa já está doente o remédio que cura é ir à luta pela sua saúde e não a ficar se alienado de sua doença.

Boa Saúde, Paz e Amor para nós!

Fraternamente,

Símia Zen.

Written by Símia Zen

18/12/2011 at 20:54

Publicado em Bem Estar Feminino

Tagged with

A medicina é coisa plural…

leave a comment »

Fraternas,

Cada povo foi desenvolvendo soluções para seus males, e a cada época, e sempre de acordo com os recursos e tipos de doenças que tinham de enfrentar, pois cada região da Terra tem seu clima, sua biodiversidade, portanto também tem suas doenças que se desenvolveram por conta disso. Daí, o ser humano desenvolveu suas doenças e suas medicinas de acordo com suas necessidades e realidades vivenciadas. Às vezes uma medicina de um povo funciona bem para outro de outro lugar e às vezes não, às vezes uma medicina de outra época funciona bem, as vezes não.

Creio que não podemos nos prender a tradições sejam quais forem só porque são tradições, mas sim porque são boas tradições para a nossa felicidade física, mental, espiritual e social, uma vez que não tenha esse caráter, o da felicidade do bem estar, o de se sentir bem saudável física, mental, espiritual e socialmente a tradição não basta em si, por isso não estou nada preocupada em seguir ou obedecer a tradições cegamente, posso até considerar, mas desde que seja para o bem estar e não só o meu mas de todos que compartilham e compartilhem junto comigo da Vida.

Se for um alemão lá na terra dele que invente uma forma de medicina bacana, que possa ser boa para minha saúde como é a homeopatia, por exemplo, blz , não vou rejeitar o que pode ser bom ao meu bem estar físico, mental, espiritual e social. Pouco me importa se é ou não é tradicional deste ou de outro lugar e cultura. Se minha postura é assim ou assado nem ligo, não tenho vontade de me fechar em guetos culturais ou qualquer bitolação que seja, e nem de me privar do bem de estar bem com que é o bom para mim. Bom… Eu sinto assim, mas cada um que é sabe onde seu calo aperta…

Tudo que for para o bem é bem vindo…

Tudo que é benéfico a nossa saúde física, mental, espiritual e social creio que devemos valorizar, independente de nossos credos ou qualquer outra diferença, porque hoje vivemos um momento de muitos conflitos desnecessários, muito estresse por conta de bobagens que não nos levam a nada se não um grande retrocesso nas relações humanas e com a Mãe Natureza.

Vejo que muitos homens e mulheres buscam regenerar o equilíbrio de sua natureza biológica e aprimorar sua humanidade livrando-se de ideologias e fanatismos sinistros, mas por medo e comodismo aceitam para si relações doentias e um estilo de vida vicioso, de consumo para alienações dos problemas com paliativos torpes e injustos, que são artifícios nocivos. As drogas, o sexo desvirtuado do natural, as massificações culturais da moda, sem religiosidade que valha a uma vida do bem estar com a natureza interna numa religiosidade sincera e ética com os outros seres humanos e com o planeta. As intolerâncias, os racismos, misóginas e misândricas, homofóbicas e heterobóbicas, e de outras ordens nefastas, tudo isso é doença, portanto creio que para todos que querem sair dessa dinâmica de sofrimentos toda a informação que vise minorar as doenças físicas, mentais, espirituais e sociais são muito bem vindas.

Muito dos remédios que as grandes indústrias farmacêuticas convencionais produzem propiciam dependência e até efeitos colaterais muito ruins, mas há muitos que são uteis, sobretudo, em casos emergenciais, pois mesmo que haja risco de efeitos colaterais, ainda assim, entre custo e beneficio é melhor do que os alternativos não danosos, que resolvem o problema na causa, mas que poderiam demorar demais para se refletir em bons resultados no corpo, já que para tais medicamentos terem efeitos bem rápidos na pessoa o corpo teria que estar antecipadamente pronto para receber esse tipo de tratamento. Mas é possível o corpo ser bem tratado internamente com boa alimentação, bem hidratado, em sua constituição química em plano geral no período do tratamento convencional mesmo, assim o corpo ficaria mais resistente ante aos efeitos colaterais se houvessem, e por si um corpo mais bem tratado internamente fica com mais imunidade, se recupera melhor e mais rápido. Por isso também que não podemos deixar de nos alimentar e hidratar bem, mesmo se estivermos sem apetite devemos fazer um esforço para nos alimentar, nos hidratar e respirar corretamente, isso também é tratar-se bem, favorece seu sistema imunológico e tem mais chances de recuperar-se da enfermidade de pronto.

A medicina homeopática, a Ortomolecular, os Florais de Bach, a Acupuntura, a fitoterapia, as massagens, tipo Do In, Shiatzu e Shantala claro que não resumem o repertório da medicina e terapia alternativas, alias justamente por serem alternativos os processos de cura devem primar por um enfoque individual e nem sempre algum método já criado pode ser o suficiente ou adequado para cada individuo. Pois cada um de nós é único, em cada um haverá algo diferente que exija uma busca, invenção e intervenção especifica para sua cura, e nisso possibilidades que a principio seriam insólitas e contraditórias possam ser eficientes, considerando custo e beneficio as vezes vale a pena a criação de novas formas de tratamentos mesmo que estes não tenham o aval das instituições oficiais, ou que ainda não estejam catalogados como o certo. O importante é não aceitar conformadamente a doença como algo normal em nossa sua Vida, porque doença não é coisa de Vida, é coisa de morte, há de se lutar pela conquista da saúde plena/equilíbrio dos sistemas do corpo físico, energético e psicológico sempre.

Creio que mesmo se considerando valida uma medicina, com boa margem para experimentações, no geral que há de se ter muito cuidado nas escolhas de formas terapêuticas e principalmente com as pessoas que ministram tais terapias para não piorar irremediavelmente nosso estado físico, mental, energético e espiritual e o das pessoas que amamos, pois tudo está interligado e de maneira direta ou indireta se nos mantemos doentes/desequilibrados no físico, social, mental ou energeticamente podemos ate sem querer desiquilibrar os que convivem conosco e vice-versa.

Bom… Essa é a minha opinião sobre medicina alternativa, não quer dizer que seja uma verdade absoluta.

Boa Saúde a todas e todos,

Fraternamente,

Símia Zen.

Written by Símia Zen

18/12/2011 at 20:44

Publicado em Bem Estar Feminino

Tagged with

Alimentação Saudável

leave a comment »

Fraternas,

Alimentar-se é renovar seus laços com a VIDA, é nutrir o corpo físico para que este não sucumba em doenças ou perca as forças vitais tão importantes para a realização dos sonhos da alma. Diz a sabedoria oriental que nós somos o que comemos.

A dieta ideal de cada pessoa é única e varia segundo fatores de ordem físico-fisiológica, como por exemplo: idade, sexo, clima, funcionamento endócrino, constituição corporal, tipo sanguíneo, de acordo com seu modo de vida, atividades físicas e intelectuais, objetivos, desenvolvimento evolutivo etc. Por isso que a culinária domestica e artesanal é de sua importância para o bem estar de cada membro de nossas famílias. Evitar a comida industrializada vendida em supermercados para as massas também é evitar a exposição de organismos únicos a um molde culinário generalizante que pode ser incompatível com as reais necessidades de nutrição de tais organismos únicos e até infortúnios com intoxicações e envenenamentos sérios.

As quantidades e junções dos alimentos também devem estar em harmonia com cada corpo orgânico, personalidade e estilo de vida de cada um, por isso se tem que conhecer seu corpo e descobrir com que e como se alimentar, porque nossos corpos não veem com manual para isso.

Insisto: Cada um deve investigar quais são os alimentos básicos para si, pois cada corpo tem suas particularidades e por isso cada um tem sua própria dieta a seguir para promover e fortalecer sua saúde. Cada pessoa deve comer o que seu organismo mais precisa e evitar o que lhe pode causar danos, tem gente que não digere bem uma coisa que outra pessoa digere super bem. O meu organismo, por exemplo, não tem boa tolerância para digerir carne, gorduras, pimentas ardidas e alimentos alcoólicos, mas conheço pessoas que comem é ficam ótimas, não há portanto um rol de alimentos que sirva para todos.

Olha, quem mastiga legal aproveita mais os benefícios do alimento. Diz a velha e boa sabedoria oriental que se deve: “Transformar na boca o que é solido em liquido, e o que é liquido em solido”, se mastigamos bem nossos alimentos já ajuda bastante em sua digestão, e o alimento bem digerido, assimilando o que bom e descartando o que não serve nunca nos fica pesado.

Também se pode optar para se alimentar com qualidade por não ingerir alimentos industrializados que contenham “química alienígena”, isto é: que tenham sido produzidos como recursos químicos ou outros que sejam antinaturais prejudiciais à saúde. Nada pode substituir os alimentos naturais em sua energia integral, não adulterada, nem em saciedade e saúde para nosso organismo, nem em cheiro, sabor e aparência para nosso prazer sensorial.

Fraternas, para fazermos uma boa refeição, nutritiva, que proporcione saciedade e limpa de venenos vindos da poluição ou agrotóxicos nocivos a saúde não se precisa de muito dinheiro nem de muito tempo em seu preparo. O importante é mesmo comer coisas da época e nativas de preferencia, essas coisas normalmente são mais baratas e se encontra fácil. Existem entrepostos e feiras livres que vendem alimento limpo e fresquinho a um preço não muito alto, mas se tem que procurar e discutir preço com boa vontade com os comerciantes. Ademais, quando se come alimentos com boa qualidade não se precisa comer muita quantidade para se nutrir, daí se faz uma economia maior do que se comprássemos coisas ruins que teríamos que comer grande quantidade para o corpo aproveitar só um pouquinho. Fora isso, comer muito exige muito trabalho do organismo no processo de digestão ou pode desenvolver doenças como a obesidade, por exemplo. O melhor é comer com qualidade não pela quantidade, mesmo que se fique com um espacinho no estomago não preenchido, isso inclusive é bom, pois não se corre o risco de dilatar o estomago e acabar ficando deselegante aos olhos do homem amado.

A disciplina alimentar conhecida como vegetariana, prima por nutrir-se sem que seja necessário suprimir a vida de outros animais, embora seja natural um animal carnívoro alimentar-se de outro (cadeia alimentar). Se entende no vegetarianismo que o ser humano tem condições naturais para optar sobre isso, desenvolvendo seu corpo físico a se adaptar a alimentação apenas com vegetais. Porém, se deve ter cuidado em adotar esse tipo de alimentação para crianças pequenas sem antes ter certeza das reais necessidades do jovem organismo que se desenvolve e o resultado pode ser positivo ou não. Mas existe uma variação menos radical de vegetariano, os ovolactovegetarianos, o qual me identifico, que também se alimenta com leite e seus derivados e ovos, desde que estes ovos não estejam galados/fecundados, claro. A título de ilustração: Em latim “vegetus” significa as palavras “forte”, “vigoroso”, “saudável”.

Fraternas, naturalmente nem todas as pessoas poderiam se alimentar apenas com vegetais, leite e ovos… Alguns, os carnívoros, por real necessidade de seus corpos, precisam se alimentar com os corpos de outros animais como, por exemplo, os corpos dos peixes, dos crustáceos, das aves, dos bovinos, dos caprinos e outros, mas creio que muitas das pessoas que se alimentam como os carnívoros nem sempre são verdadeiramente carnívoros por real necessidade fisiológica e sim por condicionamento cultural, onde não só é dispensável o uso de animais para a alimentação e/ou poderia ser em bem menos quantidade de suas carnes e sangue, já que se desperdiçam muitas vidas animais nas sobras dos pratos.

Ademais, a cultura da alimentação carnívora gera um sem numero de sofrimentos na criação e abate de tais bichos e nem sequer lhes dão oportunidade de defenderem suas vidas em embates com seu predador como são nas caçadas o que é de regra da Natureza. Mas não vou me estender nesta questão, pois nem me sinto apta a fazer julgamentos levianos sobre isso. Creio que o mais sensato seja que cada um conheça as reais necessidades de nutrição de seu próprio corpo físico e partir disso se alimente como lhe convêm para sua saúde e bem estar, pois antes de tudo, o ser humano também é bicho e faz parte da cadeia alimentar dentro da dinâmica da natureza onde um bicho come o outro e apenas opção alguns primatas humanos não comem outros animais. Portanto, cada um que coma o que precise comer para a manutenção da vida em seu corpo.

Bom… Contado que esta escrita venha a ser algo de útil às pessoas que nos visitam e, que encontre aqui, um ponto de incentivo para evitar a alimentação ruim e os maus hábitos inerentes que em nada favorecem a VIDA no corpo orgânico.

Fraternamente,

Símia Zen.

Written by Símia Zen

26/09/2011 at 12:50

Publicado em Bem Estar Feminino

Tagged with

A beleza feminina II – Corpo

leave a comment »

Fraternas,

A beleza física em si é coisa estética, nossos corpos pertencem ao mundo das formas, daí se deve adotar um olhar estético livre de valorações outras além da pura apreciação das formas e suas combinações entre si – a proporcionalidade – o equilíbrio entre as partes do todo que seria o corpo feminino inteiro. Bom… Isso não é tarefa fácil porque estamos impregnadas de pré-conceitos coisificantes agregados aos estéticos em relação aos nossos corpos. Então, creio que antes de tudo teríamos que desconstruir tais preconceitos e desagregar valores vindos deles à nossa apreciação estética de nossos invólucros carnais para podermos chegar a enxergar nossos corpos com olhos livres, isentos de bobagens pré-concebidas, e cuidarmos de nossa beleza com sabedoria. Antes de nos deixar enredar por modismos consumistas coisificantes. Acredito que devamos compreender nossa beleza física em sua fundamentação genética e natural.

Por principio da Mãe Natureza o belo é algo muito básico e simples, atemporal e universal que está em toda a conformação da grande e vasta fauna humana, em todas as suas constituições étnicas, de sexo e de idades dos corpos de acordo com o protótipo da forma humana elaborado na natureza.

A perfeição no protótipo natural do corpo humano é a simetria, pois tudo em nossos corpos está equilibrado simetricamente a partir de um eixo vertical exatamente no meio do espaço do corpo que é nossa coluna vertebral, a coluna principal do nosso templo orgânico. Nosso corpo, quando perfeitos, têm dois lados iguais e tanto de um lado como do outro ao eixo central, nossos órgãos internos se arranjam assim, dois pulmões, um de um lado outro do mesmo tamanho e peso do outro, nosso útero ao centro, nossos dois ovários, um de cada lado, o coração, quase ao centro, nossos rins um de um lado o outro no mesmo lugar do outro, nosso cérebro ao centro no lugar mais alto e protegido, e assim vai…

A parte interna de nossos corpos é simétrica e proporcionada, tem igualmente tamanho e peso distribuído a cada lado e cada órgão tem seu padrão e harmônicos entre si, obviamente a parte externa não poderia ser diferente. Se alguma das partes que compõem nosso organismo estiver com alguma deformação ou fora do lugar na composição espacial interna, por conseqüência algo na parte externa também estaria deformada e/ou torta. Exemplo: Um estômago dilatado tem sua correlata deformação externa e é por isso que mulheres que dilatam seus estômagos com comida em demasia e/ou na “cervejada” ficam com uma protuberância na silhueta na localidade externa onde internamente está seu estomago. Portanto, para mulheres com estomago maior do que seria o normal no protótipo de natureza, seguir a moda da lipoaspiração pensando que com isso vão tirar o volume da barriga não faz sentido algum, o melhor é não dilatar o estomago, e se tiverem com o estomago já dilatado, não o dilatar mais ainda.

Além da simetria nossos corpos têm uma proporcionalidade básica, que é um arranjo interno e externo no conjunto de órgãos de maneira a boa funcionalidade geral, uma funcionalidade plena de acordo com as possibilidades que a arquitetura do corpo humano pode alcançar para a preservação da espécie em seus múltiplos ambientes e adaptabilidade as eternas mudanças do eco-sistema em plano geral, e também da mutabilidade da espécie dentro disso. Logo, um corpo perfeito é um corpo em suas plenas capacidades de funcionamento e reprodução de espécimes igualmente capazes de dar conta da manutenção e evolução da raça humana em sua diversidade e mesclas étnicas e no também diversificado e mesclado eco-sistema do planeta.

A beleza se for considerada com a perfeição formal da natureza, estética pura sem interferência de valores da ética e de gostos culturais, é uma harmonia entre as partes do corpo em equilíbrio simétrico e movimento e ritmo adequados a dinâmica natural da criação/evolução da espécie.

Acredito que nossos corpos são o veiculo, o meio, o instrumento para que assim possamos experienciar o processo fisioquímico da vida para um fim evolutivo em nossa essência imaterial e de resto, me é inabrangível. Por isso, não creio que devamos dar mais importância do que é já bem importante quanto aos nossos corpos, muito menos negligenciar os cuidados internos e externos a eles e seu aprimoramento estético, mas devemos ficar sempre atentas para nos aprimorar e não nos aprisionar aos nossos corpos, assim nos fixando neles e nas sensações inerentes com exagero na ilusão vã de que só dos nossos corpos vem o que nos faz ser o que somos, até porque não ficamos neles para sempre…

Fraternamente,

Símia Zen

Written by Símia Zen

02/04/2011 at 20:59

Publicado em Bem Estar Feminino

A beleza feminina I

leave a comment »

Fraternas,

A beleza. Temos uma questão aí um tanto entroncada que leva a muitas a boa ventura e muitas aos infortúnios. Desde sempre, a beleza é uma questão importante na vida feminina, porque vem da beleza certa determinante na existência como ser humano na Terra e em nossa época isso se acentua muito. Por isso, creio que se faz necessário que nos debrucemos muito cuidadosamente sobre essa nossa questão e que afeta diretamente a qualidade de nossas vidas para com mais entendimento se possam ver as bobagens da moda e de outros equívocos que possam nos estragar a saúde e a vida em plano geral e seus diversos campos de nossa experiência como seres humanos.

Não busco esgotar o tema, nem teria competência para tanto, só busco a partir de essa carta inicial compartilhar algumas idéias e opiniões que em mim se elaboram em relação a isso, em meu olhar cubista de nossas belezas em suas múltiplas perspectivas. Espero assim colaborar a um esclarecimento que esse tema tem muito mais facetas do que as poucas e ralas que a publicidade da mídia vem nos bombardeando há décadas e com isso nos influenciando e nos confundindo em relação ao que somos quanto seres femininos, confusão essa que hoje faz um sem numero de mulheres viverem para o consumo e se “coisificando” simultaneamente, como se fossemos seres inanimados, mas por não sermos em verdade, essa dinâmica nefasta acaba por causar muito do sofrimento feminino e, como nada é impossível à evolução, podemos individualmente reverter essa situação se vermos quem somos integralmente para além do veiculo orgânico, o qual merece toda a atenção, cuidados e primor estético naturalmente, mas que não podemos perder a consciência de que nosso corpo é um meio e não um fim e que, não é só aí que está a beleza feminina, tudo é bem mais amplo. Nossos corpos são apenas o veiculo formal orgânico em que podemos experimentar a vida orgânica na Terra e reproduzi-la junto aos nossos semelhantes na coabitação com todos os demais viventes do planeta. Nós não somos os corpos, nós estamos com corpos e se tudo vai bem há uma integração que faz com que nos sintamos bem vivendo neles e no mundo.

A sensação de beleza é algo que ultrapassa o design do corpo e as vaidades correlatas. A sensação de beleza está mais vinculada a idéia que fazemos de nós, o julgamento interno de nossa qualidade humana e nosso afeto pela pessoa que somos, tanto que associamos o belo ao certo, a estética a ética. Quando estamos contentas, satisfeitas conosco, ficamos plenas dessa satisfação e aí sim a beleza estética complementa esse contentamento no viver. Não há porque fazer o inverso, pois nada externo pode dar contentamento a uma mulher com ela mesma, por isso os cuidados com a beleza começam é na alma, no interno, e por efeito isso leva ao gosto pelos cuidados com o interno do corpo, com sua saúde física, psíquica e social, assim essa verdade se extravasa naturalmente a parte externa do corpo.

Contando que em algo tenha sido útil a alguma mulher alem de mim que, assim como eu, busca a plena harmonia de corpo e alma, a verdadeira beleza, e que minhas próximas cartas sobre isso sejam úteis também. Subscrevo-me,

Fraternalmente,

Símia Zen.

Written by Símia Zen

26/03/2011 at 19:15

Publicado em Bem Estar Feminino

Mulher que vive como satélite acaba obsoleta.

leave a comment »

Fraternas,

Obviamente mulheres que se façam de objeto sexual não podem esperar muito da vida, já que o tempo de validade de sua “mercadoria” é curto, no entanto não são apenas as mulheres que desrespeitam seu corpo e sexualidade que se “coisificam”. A mulher objeto tanto de cama como de mesa ou os dois, pode se tornar uma “coisa” obsoleta e, consequentemente, descartavél.
.

Mulheres que se dedicaram a família de forma exclusiva sem se desenvolverem como seres humanos criativos, depois que criaram os filhos com esmero, que foram fieis, leais e incansáveis aos seus esposos, parceiras na luta e labuta ajudando com seu suor a se estabilizarem financeiramente e até formando um bom pé de meia, depois que todos já estão bem vão se afastando delas, vão jogando-as pro lado… Pouco a pouco, lhes abandonam de forma velada. Seus filhos lhe dão o mínimo de atenção e só na hora que precisam de algum trabalho dela, seu marido faz uma separação de corpos e espírito velada pois o sexo com elas já não lhe interessa mais, enfim, elas ficam sozinhas e como a maioria absoluta dessas boas mulheres, mães e esposas exemplares, não esperam que isso aconteça, não se preparam para o óbvio e enlouquecem.

Solitárias, ressentidas e loucas viram presas fáceis para pessoas de má fé se aproveitam e lhes enredarem psicologicamente, fazendo com que elas restabeleçam vínculos afetivos e auto-estima, mas não com a própria família que ela formou e sim com suas instituições “religiosas”, assim elas voltam a se sentirem com uma família para se dedicar e ser querida. Depois que o leite foi derramado, ela vira um problema e que deve ser afastada para não incomodar o marido e filhos, mas se elas ficarem como almofadas velhas no cantinho, sem reclamarem de suas vidas na vida da família não há problemas para elas, podem ficar encostadas na casa na boa, em outras palavras “depois que a laranja foi chupada o bagaço vai pro lixo”. Claro que existem exceções, claro que a cultura da descartabilidade não vigora em todos os lares, inclusive acabei de ver um caso muito bonito onde um filho reconheceu o amor de sua mãe dedicado a ele, e com amor filial , se compadeceu da sua situação, mas via de regra a coisa infelizmente é nefasta.

Uma mulher de familia qndo chega a certa idade pode enloquecer… Por essas e outras razões que a mulher nunca deve por todos os seus ovos numa só cestinha, deve sim ser honesta e dedicada ao marido e filhos, massss deve também cultivar uma vida própria, desenvolver sua religiosidade por gosto e não para tapar buraco, estudar e criar em sua vocação humana, participar no mundo além da dedicação aos cuidados com a família. Se ficarem só de satélite girando em volta das pessoas  da família  irão sofrer, pq vão incomodar os filhos e marido e serem mal queridas, mas se tiverem sua própria vida quando o “deserto” se estabelecer, terão seus “oásis’ para lhes compensar, e talvez até por isso, sequer nunca venham a ser para sua família um objeto obsoleto e descartável.

Para ser uma mulher bacana, responsável e carinhosa com sua família não é preciso deixar de ser um ser humano com todas as suas infinitas possibilidades criativas, muito pelo contrário…

Fraternamente,

Símia Zen.

Written by Símia Zen

27/01/2011 at 03:43

Publicado em Bem Estar Feminino

Tagged with