Reflexões Femininas

Dia Internacional da Síndrome de Down – Por Símia Zen.

leave a comment »

Crianças-com-Síndrome de DownSenhores,

Venho nesta carta festejar com os senhores a ótima noticia que é a partir deste ano o estabelecimento no calendário oficial da Organização das Nações Unidas O Dia Internacional da Síndrome de Down, dia 21 de março. Possivelmente assim haverá mais incentivos às políticas e práticas em benefício do bem estar dos portadores da síndrome de Down, tanto nas instituições competentes, públicas e privadas, dos países que compõe a ONU, quanto mais ações beneficentes espontâneas da sociedade em geral. Que bacana!

 .
Bom… Os senhores devem estar se perguntando o que o site RM tem a ver com isso, e devo explicar que tem nada e tudo, pois, se considerarmos que a probabilidade de crianças nascidas portarem a síndrome de Down é em média de uma a cada oitocentas e que essa probabilidade de concepção de bebês com Down é bastante superior nas etnias europeias, depois nas asiáticas, e em menor incidência nas etnias africanas, o Brasil por ter a maioria da população miscigenada pode ser como pode não ser um grande índice de incidência da síndrome, dependendo do comportamento da hereditariedade da mulher. A probabilidade aumenta em mulheres acima de quarenta anos, e mais ainda em mulheres com corpos arrasados pelo uso de drogas e sequelas de DSTs, pois estas ficam com o organismo muito fraco para formar bem um feto nos seus ventres, e é habitual na modernidade é as pessoas adiarem o compromisso familiar até alta idade… E mesmo sem nenhuma situação favorável também ocorrem nascimentos de crianças com Down, então: há alguma probabilidade, assim como foi com o jogador de futebol Romário, que muitos homens que talvez leiam este site virem a ser pais de crianças com Down, ou tios, avôs, primos, amigos de pais de crianças com síndrome de Down, vizinhos ou colegas de escola de seus filhos. Por isso, creio que talvez possa ser algo útil aos senhores e a todas as pessoas normais em geral que se reflita sobre a qualidade de vida dos portadores da síndrome de Down.
 .
A Síndrome de Down é um distúrbio genético que ocorre na feitura do feto e foi descrita pelo médico inglês John Haydon Down em 1866, ocorre por consequência de uma anormalidade na constituição cromossômica, também conhecida como “trissomia 21”. A grosso modo, a síndrome ocorre na gestação porque um cromossoma “extra”, para normalidade humana se acrescenta ao par dos cromossomas de nº 21. A trissomia 21 normalmente causa uma malformação congênita no coração e/ou nos rins, língua espessa e um pouco maior que o normal, pés e mãos em dimensão menor que o normal, orelhas um pouco mais baixas e menores que o normal, olhos oblíquos e rosto arredondados, semelhantes ao formato dos olhos dos orientais, por isso o termo “mongolismo” é usual no senso comum, e retardamento mental severo ou moderado, dependendo do comprometimento da deficiência intelectual na conformação cerebral dos portadores dessa anomalia cromossômica.
 .
Senhores, existem coisas nesse mundo que me deixam intrigada, uma delas é a incrível maravilha que ocorre com a maioria das crianças portadoras da síndrome de Down dependendo de como são tratadas do ambiente em que vivem, nas crianças com Down que não são maltratadas a mais surpreendente é a mega ternura que expressam através do olhar e sorriso. É muito comum portadores de síndrome de Down serem muito carinhosos, sobretudo as crianças e adolescentes, e amam muiiito ser acarinhados também, retribuem um abraço com outro abraço prontamente e nunca menos farto de aconchego sincero, é incrível como são tão impermeáveis às maldades do mundo e a construção social… rsrs
 .
É linda demais a afetividade das crianças portadoras de Síndrome de Down, elas expressam ternura tanto a gente quanto a bicho, nada abala essa belíssima virtude delas, o abraço é o mesmo a gente boa ou gente má, a gente rica ou mendiga, branca ou preta, verde, azul, rosa, arco-íris, pitadinha de sardas ou malhadinha vitiligo, criança, idoso, hippie, filatelista, iogue, assassino, emo, artista, coveiro, dona de casa e heavy metal, todos são gente passível de carinho para os portadores de Down e todos ganham o mesmo abração apertadão com olhar alegre, terno e confiante, não há crivo de censura em seus delicados corações anormais, por isso também se magoam muito fácil e ainda assim o cinismo, a arrogância e a maledicência não são normais num humano com Down. É… Parece que com a “trissomia 21” os que perdem em deficiência intelectual ganham em eficiência afetiva…
 .
Creio que não há o que se espantar quando vemos pessoas com Down felicíssimas da vida, e por isso se desenvolvendo sensível e cognitivamente bem melhor por estarem entre os demais seres humanos em todas as atividades cotidianas onde tem gente, tais como: escolas, locais de trabalho, locais de culto religioso e/ou artístico cultural, festas, campeonatos esportivos, etc. Isso me parece normal e muito bom também. O problema é que por conta da falta de informação sobre os humanos portadores da síndrome de Down, muita gente normal não convive bem com eles, acho que pensam que a síndrome de Down é contagiosa ou que faz as pessoas serem imprevisíveis e aí ficam com medo deles, e também porque alguns de nós não têm boa capacidade de tolerância as diferenças que eles apresentam na aparência, na fala, no pensamento mais lento e em alguns comportamentos. Isso é péssimo para eles, pois sofrem e menos desenvolvem raciocínio quando ficam isolados da vida humana comum que veem pela TV, mas não conviver com eles é uma perda muito maior para nós, os sem déficit cognitivo, mas deficientes em amorosidade…
 .
Presos aos nossos umbigos, perdemos uma valiosa oportunidade em aprender a conviver para além dos nossos próprios referenciais de normalidade, já um tanto desgastados… Perdemos muito em não conhecer e conviver com gente diferente de nós. Pois perdemos as surpreendentes alegrias em ser com amplitude perceptiva e numa dimensão amorosa e não apenas num ter mecânico de ser-coisa. São nessas chances que despertamos inúmeras capacidades humanas sensíveis e cognitivas que jazem adormecidas em nós, já que no desafio da compreensão ao diferente além de exercitarmos nossa racionalidade, também temos a chance de desenvolvimento de nossa inteligência emocional…
 .
Enfim, o contato com deficientes em cognição nos impele a sermos eficientes em inteligência operante na comunicação de fato. Sem contar o Bem que nos faz os abraços sinceros de ternura que ganhamos apenas porque existimos, abraços que usualmente entre nós, os normais, nem damos e nem recebemos sem interesses mesquinhos, pois em nossa anormalidade normal é mais fácil vermos uma pessoa normal estraçalhando física e/ou verbalmente a outra por besteiras do que sorrindo num cumprimento cordial pelo menos.
 .
Senhores, há quem pense que os portadores de Down morrem ainda crianças, não aprendem linguagens nem os códigos e da cultura em geral, que são incapazes de viverem felizes e produtivos entre nós, mas isso não é verdade. Dependendo do tanto de comprometimento provocado pela trissomia 21, com os devidos cuidados, motivação e acolhimento os portadores da síndrome de Down podem ter razoável longevidade, aprenderem tanto a linguagem verbal falada e escrita como as linguagens não verbais e podem fazer muitos trabalhos comuns e artísticos sem grandes problemas. Há casos até que excedem em êxito a muitos normais, sobretudo os preguiçosos. Vide os exemplos do esforçadíssimo e talentoso ator espanhol Pablo Pineda, 35 anos, formado em Direito, que levou o prêmio “Concha de Prata” como melhor ator no Festival de Cinema de San Sebastián, filme “City of Life and Death”, Concha de Ouro, de Lu Chuan, antes ele já tinha sido protagonista no filme “Yo, También”. Claro que este ator é uma das tantas exceções em êxito na inserção social, mas provam que é possível com bons cuidados e incentivos as pessoas com síndrome de Down não muito severa chegarem a idade adulta saudáveis e produtivos. Fora o Pablo Pineda, há inúmeros casos de Down onde tudo dá certo e a felicidade é fato na vida deles e, por efeito, dos que convivem com eles.
.
Tomara que com o “Dia Internacional da Síndrome de Down”  mais informação e investimentos sejam incentivados para melhoria da qualidade de vida dos portadores da síndrome em suas particularidades coletivas e individuais. Com tais benefícios certamente seria ainda mais comum a inserção social dos deficientes intelectuais na convivência comum, e sem os estigmas severos que os infantilizam e assim os limitam ainda mais a progredirem cognitivamente. Acho que a partir disso poderia haver uma melhor tolerância entre normais e portadores da síndrome de Down, e até mais possibilidades no futuro para um dissipar de estranhezas desnecessárias numa saudável convivência social regada  com alegres risadas mutua da parte engraçada que existe em todas as pessoas, independente das diferenças de constituições cromossômicas. Tudo na boa, tudo numa cordial felicidade… Que bacana…
 .
 Bom… Saudações Festivas e Boa Sorte a todos!
 .
 Símia Zen.
 .
 .
Posted 23rd March by Shâmtia Ayômide
Labels: Simia Zen Política e Filosofia
============
Fonte: Texto originalmente publicado no site Reflexões Masculinas – Revista Online sobre o Homem e a Masculinidade  – http://reflexoes-masculinas.blogspot.com.br/2012/03/cartas-aos-homens-dia-internacional-da.html
=======================================================SZ
Anúncios

Written by Símia Zen

18/04/2013 às 14:23

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: